terça-feira, 23 de outubro de 2012

PINTURA À ÓLEO -


Hoje vou falar sobre uma técnica que surgiu há muito tempo atrás e que acho uma das grandes contribuições vinda através de estudos feitos por artistas que fizeram descobertas maravilhosas e nos deixaram este legado.  _ a tinta a óleo _ que nos permite com maior  facilidade, digo isto pois sua secagem lenta nos permite pintar ainda úmida, de fazer várias misturas, graduações, tanto na preparação das cores como na execução do quadro.  Estas misturas permitem uma ampliação nos modos de aplicação, desde o fino em grandes planos, até massas espessas aplicadas com  pincel, os dedos e espátulas, passando por veladuras delicadas e pinceladas variadas.


Como minhas pinturas são em sua maiorIa muito ricas em detalhes, eu prefiro a tinta à óleo, por ser de secagem longa e me permite trabalhar com maior liberdade, pois preciso realmente de tempo para elaborar, mudar, encontrar saídas, e finalmente dar a obra como finalizada, pois mesmo tendo um projeto com desenhos, cores…quando coloco na tela, as coisas se transformam, ganham  vida e muitas vezes sofrem mudanças… e como não é bom acelerar a secagem de uma tela a óleo(que leva por vezes meses) procuro abrir várias frentes, como pintar várias telas ao mesmo tempo, pois enquanto uma seca, passo para outra e assim evito as rachaduras e ganho  tempo para  amadurecimento de uma idéia.


A origem da pintura a óleo é escura;  sabemos apenas que se atribui sua descoberta a VAN EYCK no início do século XV, quando o artista procurando um verniz que não precisasse secar as tábuas pintadas ao sol, descobriu as qualidades secantes do óleo de linhaça e o de nozes.  No entanto sabemos que estes óleos já vinham sendo utilizados durante a Idade Média.  Portanto não temos fontes seguras que comprovem o papel de Van Eyck na origem da técnica do óleo. Pode ser que se limitasse a aperfeiçoar um método tradicional :  conseguir azeites de boas propriedades de secantes e diluentes muito voláteis, como a essência de _  TEREBENTINA, que permitia um trabalho mais rapido e cores de melhores qualidades, que não degradam ao secarem.


O óleo se caracteriza pelo emprego de óleo de linhaça de nozes ou de dormideira: estes são os mais usados.  As cores a óleo são pastosas e algumas como o branco, verde ou azul pela ação dos azeites que formam, tendem a se tornar opacas, sendo necessário usar na hora da sua aplicação outros azeites dissolventes que tornam as cores mais fluídas, mais transparentes, como a terebentina; mas só tem um porém, deve ser usado com precaução, pois acelera a secagem e possibilita um trabalho mais rápido, e em excesso pode deixar as cores frágeis ao dissociar demasiado os pigmentos e como tudo nesta vida tem 2 lados, devemos sempre ter cuidado em não extrapolar…

Bem, agora vou deixar vocês pensando um pouco sobre tudo que falei, pois minhas telas estão me esperando,  vou começar outra sessão… até a próxima, me aguardem…  Tchau.

2 comentários:

Tais Luso disse...

Oi, Wall! Ótima aula, amiga! Muito didática, além das tintas você fala nos secantes. Nas imagens sempre usei secante, pois encomendas não esperam, mas tiram a possibilidade de se pintar com calma e de se fazer várias provas, misturas. Precisava saber e decidir rápido. Não dá a possibilidade de se reinventar como em telas. A brincadeira, as descobertas com tintas à óleo são sempre muito prazerosas.

Verdadeira aula!
Grande beijoooo.

wallper.lima disse...

Que bom Taís, tento sempre escrever de forma que todos possam entender, até porque é um assunto que nem todas as pessoas estão por dentro.
Bjocas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...