quarta-feira, 8 de julho de 2009

Tarsila do Amaral - Brasileira -São Paulo -1886/1973

Auto-retrato 1923

Viver numa procura eterna de si mesma, caminhar por estradas até então nunca andadas, poder escutar a voz que vem de dentro, como canto dos pássaros que são criaturas de Deus, e se descobrir por inteira. Onde a criação se faz presente...e assim nasce Tarsila do Amaral!
Veio de família de posses, pois seu pai herdou apreciável fortuna e diversas fazendas, na qual Tarsila passou a infância e a adolescência.


Tarsila soube aproveitar muito bem a vida tranquila que teve em questões econômicas. Estudou no Sion em São Paulo, e completou os seus estudos em Barcelona na Espanha, onde pinta seu primeiro quadro: “Sagrado Coração de Jesus”, aos 16 anos. E a partir daí, começou a estabelecer uma ligação direta com o mundo das artes.
Casa-se em 1906, com André Teixeira Pinto, onde nasce sua única filha – Dulce.
Mas separa-se e começa a estudar escultura em São Paulo e posteriormente estuda desenho e pintura com Pedro Alexandrino. Mas Tarsila possuía uma alma que tinha sede de conhecimento, e não parou por aí.


Embarcou para a Europa com o objetivo de ingressar na Academie Julian em Paris. Frequenta o atelier de Emile Renard.
Em 1922 teve uma tela admitida no salão oficial dos artistas franceses. Nesse mesmo ano regressa ao Brasil e se integra com os intelectuais do grupo modernistas. Faz parte do grupo dos “cinco”- juntamente com Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, e Menotti Del Picchia.


Tarsila nessa época começou a namorar o escritor Oswald de Andrade que depois mais tarde acabaram-se casando.
Volta a Europa em 1923 e lá tem contato com os modernistas que se encontravam: intelectuais, pintores, músicos e poetas.
Estuda com Albert Gleizes e Fernand Léger , grandes mestres cubistas. Com isso Tarsila vai compondo suas idéias formando seu estilo dotado de cores e temas tipicamente brasileiro.



Em 1928 pinta o “Abaporu”, para dar de presente a Oswald de Andrade, que se empolga com a tela e cria o movimento – Antropofágico – e em 1929 faz sua primeira exposição de pintura no Brasil.
Tarsila retratou em suas telas, o povo brasileiro dentro de
um estilo todo seu. Em suas figuras deformes e suas cores predominando o verde e o amarelo, de certa forma com o leve tom genuíno, mas com muita força de expressão, atravessando salões, bienais e nossos corações!
Abaporu - 1928

22 comentários:

Dulce disse...

Waleria

Sempre se aprende alguma coisa nova aqui no seu cantinho. Gostei muito desta sua postagem. Obrigada.
beijos

Mona Lisa disse...

Olá Wall

Adorei o teu post.
Desculpa a minha ignorância , mas não conhecia a pintora.

Gostei imenso do tela"Abaporu".

É diferente, mas aí reside a sua beleza.
Obrigada pela partilha!

Bjs.

Lisa

Paula disse...

Olá Wall,
Obrigada pela visita e desculpa a demora em responder.
Parabens pelo espaço,com informaçoes tao preciosas...abçs!

(sobre Anita)
[...]Um dia saí de casa, amarrei fortemente as minhas tranças de menina, deitei-me debaixo dos dormentes e esperei o trem passar por cima de mim. Foi uma coisa horrível, indescritível. O barulho ensurdecedor, a deslocação de ar, a temperatura asfixiante deram-me uma impressão de delírio e de loucura. E eu via cores, cores e cores riscando o espaço, cores que eu desejaria fixar para sempre na retina assombrada. Foi a revelação: voltei decidida a me dedicar à pintura."

Anita Malfat

Vivian Pereira disse...

Oi minha Dinha e amiga!!!! td bem???

Passando aqui para dizer que adorei conhecer um pouquinho mais sobre a vida de Tarsila do Amaral. Particularmente, acho divino o estilo dela, acho bem criativo e bem moderno para a sua época!!! Ela conseguia retratar de uma maneira especial o povo brasileiro, muito bom!!

Grande beijo pra vc!!!! e outro pra Lou tb!!!

Valter disse...

Olá queria Waléria, obrigado pela visita e pelo comentário, suas postagens sempre são ótimas parabéns, do seu amigo Valter.

Eliana / Lu Maria disse...

Olá querida!

Sabe o que mais me encanta em Tarsila? O jeito de usar as cores; é tudo sentimento em Tarsila. Adoro!

bjos
Eliana

PS: Lu Maria anda roubando suas imagens... rsrsrss

Bruno Cardona disse...

Olá, espero que esteja tudo bem com você, comigo tambem esta tudo bem , obrigado pela preocupação, já ha algum tempo que não acabo uma pintura , mas ha uma prevista para breve, ;) . Tudo de bom e continuação de um óptimo trabalho no seu blog.
Bruno Cardona

Vivian Pereira disse...

Dinha... uma frase de Tarsila

"Parece mentira, mas foi no Brasil que tomei contato com a arte moderna." [ Tarsila do Amaral ]

bjos

Carla disse...

Eu amo esse grande artista, acho o trabalho dele lindo demais. Beijo

milla disse...

oi tudo bem amei seu blog
passe no meu se gostar vote nele
que votarei no seu bjao♥
by milla
http://mila.blog.mil.zip.net

Carla disse...

Ih ih ih confundi nada, é mesmo erro de portugues, sabe o que é?? Correr para tudo e depois sai asneira da grossa,costumo ler o que escrevi antes de aprovar mas ontem nem reparei no que tinha escrito. Obrigado por chamar a atenção. Beijo
Adoro o trabalho delAAAA ih ih ih ih

Graciela Acebal disse...

Wall, por què no pones esa mùsica de Brahms tan bella en tu blog?
Me encantò lo de Dalì. Te enviè un mail al respecto con algunas reflexiones personales.
Felicitaciones!!

antonior disse...

Gostei de descobrir a Tarsila do Amaral. Destes dois exemplos gostei mais do autoretrato.

Espero ver mais trabalhos seus depois das meninas cubistas.

Um abraço

P.S. - Respondi ao seu comentário, lá no meu espaço, na mesma página em que comentou.

Anônimo disse...

Oi Tia!!! td bem??

Como prometido estou aqui hehehe...
Gostei muito dessa sua nova postagem, pois Tarsila do Amaral foi uma grande artista no movimento Modernista da década de 20!!!

Continue assim!!!!

Bjos até +!!!

Jessy

Graciela Acebal disse...

Conocìa a Tarsila... me llamò la atencion haber visto el año pasado esta misma obra en una subasta de Mercado Libre, aqui en Argentina !!
Me encanta su particular estilo y esos colores tan vivaces.
Un abrazo,

Canteiro Pessoal disse...

Oi querida Val! Saudades de passar por aqui com frequência. Hum, sulgar o nectar de cada letra que exprime tanta sensibilidade e cultura, uma visão acerca do que se retrata a essência da arte.
Bem! Fantástico este trecho; "Viver numa procura eterna de si mesma, caminhar por estradas até então nunca andadas, poder escutar a voz que vem de dentro... e se descobrir por inteira". Há neste um gesto, um tom de voz, traduzindo à inspiração da memória do que somos na íntegra. É o sentido do geral e nos faz tomar uma atitude por entrar na obra de arte que somos. Torna-nos assim, a ouvir os primeiros minutos após o nascimento, a que é mais sensível.

.

Sabes amada, muitas vezes, pensei em parar de escrever e desistindo do que me tematizava, trazendo comigo a perda da essência, o inteiro. Mas, quantas vezes também, fui agraciada com leituras e que como um chamamento me fazia retornar e a pena começava a dançar, transpor para o papel o meu intraduzível tão louco para muitos e pra mim mesma. Sei, agora sei, o quanto me faltava respiração. Os meus olhos caçavam decifrar o que ia na alma, isolava-me para estar só e encontrar-me na mais profunda intimidade e identidade.

[...]

Percebo o quanto caçamos o inteiro e ser o que temos que ser, seria a descoberta do que fomos projetados, dom.

Maravilhoso tudo que li.

Beijos mil Ave Rara

Priscila Cáliga

Donagata disse...

Mais uma excelente lição dada assim desse seu jeito tão peculiar e tão perceptível.

Desta gostei especialmente porque sou uma total ignorante no que diz respeito à arte no Brasil e aos seus autores. Posso exceptuar aqui a literatura, nomeadamente a poesia, que conheço sofrivelmente.

portanto isto foi tudinho para entrar e, espero para ficar.
Fiquei muito curiosa e irei pesquisar mais um pouco assim que tenha tempo.

Beijos.

".Felipe Rezende." disse...

waal.
ameei o texto.
agora vooltei, no fim da minha nova postagem explico direitinho o motivo do meu sumiço.
kkkk
mas o blog continua lindo como sempre, e você a escrever maravilhosamente bem.
:)

Carmen disse...

Olá!
Vi um recado seu para o Jabim e fiquei curiosa.
Vc estudou Ed Artística na Bennett? Em q ano?
Estamos reunindo o grupo por isso pergunto.
Um abraço.

wallper.lima disse...

Oi Carmem! Tentei entrar em seu blog, mas não consegui. Te adicionei no Orkut.
Abraços.
Waleria.

Ingrid O.s. disse...

Realmente adoro seus posts cada vez você esta escrevendo melhor, e já que a sua praia são as artes, você já foi a POA visitar o Margs para ver as exposições de comemoração da França no Brasil?? Dizem que esta muito boa... Beijos

Tais Luso disse...

Oi, Walzinha, a Tarsila tem uma importância grande, uma das grandes expoentes de nossas artes plásticas, apesar de ter começado um pouco tarde seu trabalho como pintora - já tinha 30 anos. Porém seu trabalho é importantíssimo como uma das primeiras pintoras da primeira fase do modernismo brasileiro.

Bela postagem.
Uma beijoca
Tais luso

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...