terça-feira, 31 de março de 2009

Restauração e Antiguidade - Continuação.


Bom, hoje estou voltando depois de um descanso merecido...pois a vida de artista não é tão "fácil"como muita gente pensa...mas vamos retornar a nossa viagem ao mundo encantado da restauração!

Os vernizes à base de laca atraem alguns insetos, que põem seus ovos sobre a tela, e ficam pontinhos mais escuros, com uma borda mais clara, sobre o quadro. E se olharmos contra a luz veremos que ali vamos encontrar um furinho. Com o tempo esse furo vai aumentando e perdemos muito do quadro.
O verniz com o tempo vai modificando a cor da pintura, pois vai ficando amarelado, alterando a tonalidade das cores, como:

- branco - fica amarelado
- azul - fica esverdeado.

Outros dizem que o verniz protege a superfície pintada, do pó, sujeira e poluentes no ar ( que o verniz a óleo pode ser lavado com água, sem qualquer perigo). Abrilhantar, realçar as cores que por terem sido diluídas com excesso de aguarrás, tinham ficado sem brilho, unificando o realce e o brilho de todas as cores do quadro.
Muitos artistas desprezam o envernizado, e eu estou aqui, pois o maior inconveniente do verniz, está na sua principal qualidade, " no brilho", que muitas vezes atrapalha a correta visão do quadro.

Quando restauramos uma tela não podemos interferir e nem adicionar nada, a não ser quando autorizado.

O procedimento básico de toda restauração, é retirar a tela dos chassis (aquela parte de madeira que prende a tela). Depois temos que fazer o teste de solubilidade da tinta, para saber ao certo que tipo de solvente usaremos, pois toda tinta tem um ponto em que ela se desfaz, vira líquido, então o uso inadequado é fatal. -

Ex: quando passamos acetona no esmalte das unhas ele vira líquido, e sai no algodão.

Quanto mais antiga a pintura, se dissolve com os solventes mais fortes. Para uma simples limpeza ou conservação, usamos o mais fraco. E temos também que saber como a pintura foi feita.
Temos diversos solventes para usarmos nas telas, que vão desde querosene, até éter e acetonas.
Fazemos o teste do solvente sempre num cantinho da tela, pois corremos o risco de dissolver toda a pintura e ...cada caso é um caso.

Para conservar uma pintura com mais de 30 anos, temos que restituir a elasticidade original da tinta. Trabalharemos com solvente fraco e repetiremos o processo por vários dias, e até meses para que a tinta volte ao normal.

Quando a tela já sofreu restauração e por sinal "mal feita", tiramos um raio x da tela, para saber o 1° passo do autor, e restituir sua pintura original. E se soubermos o desenho original, será retirado somente a pintura recente, e o material novo, posto sobre a tela original. Então usaremos solventes fracos para esse serviço, e iremos descobrindo aos poucos, a pintura original da tela, e devolvendo sua verdadeira identidade.

No caso de descolamento de pintura, rasgos, ressecamento, teremos que fazer uma reentelagem.
Fazemos então uma liga a base de cera de abelha, e outros elementos, para que possamos colar a pintura original num novo tecido, que tem que ter a mesma qualidade do antigo, para não sofrer rejeição de material, ou resistência.
Para fazer essa reentelagem, temos que trabalhar numa superfície plana de madeira, onde forramos com bastante papel(jornal) embebecido em solvente. Colocamos a tela já retirada dos chassis, com a face pintada voltada para baixo, e pregamos com tachinhas o novo tecido, bem esticado sobre a madeira. Jogamos a solução de cera(aquecida sobre o tecido) e passamos com ferro de passar roupa, em temperatura morna, para que a cera da superfície penetre na tela original.
Deixamos esfriar, e retiramos as tachas e viramos a tela.
Esse serviço, tem que ser muito bem feito, pois não se pode deixar criar bolhas de ar, e nem deixar a temperatura do ferro queimar a pintura.
Feito isso, retiramos o excesso de cera, e deixamos a tela por um tempo, para que possamos trabalhar nela. Teremos de limpá-la e talvez dar alguns pequenos retoques.
Se houver rasgos, podemos usar massa de pintura para suavizá-las e retocar por cima.

Para os retoques temos que usar a mesma tinta original e nunca usar betume para tentar envelhecer a pintura, pois essa é a maior causa do escurecimento da pintura e sujeira...e quando retocamos com perfeição,(a parte danificada) temos nítida impressão que toda a tela foi pintada naquele momento e que nada ali foi mexido.
Ressalvo que todos os retoques poderão ser feitos com o consentimento do dono do quadro.

Lógico que existem métodos bem mais sofisticados, como câmaras fotográficas tridimensionais ligadas a sofwares especializados, limpeza à laser( como no Museu de Versailles), mas são recursos muito caros...mas para mim o que conta, é o resultado final, e restaurar com perfeição é devolver ao dono, seu "objeto" por inteiro, respeitando acima de tudo um trabalho feito por outra pessoa e que merece respeito.

Espero ter conseguido nessas duas postagens, mostrar um pouquinho desse mundo tão fascinante, e tão vasto, que é a - RESTAURAÇÃO-

Até breve!

21 comentários:

Kátia disse...

Olá!

Vim visitar seu espaço e também dizer que amo a arte,pois também faço um pouco dela.Adorei as pinturas que vi por aqui,senti o teu amor pelo que faz e o teu livre expressar repleto de sentido tocou-me e com certeza será a mola propulsora que me fará retornar uma,duas,muitas vezes!

Obrigada!!!E...antes que me esqueça,O Rio de Janeiro é uma cidade espetacular e eu adoro!
--logo vais entender porque desta observação--
Fica bem!!!
Beijo!

Scarlet disse...

Ótima continuação!
Agora, fiquei sabendo mais aprofundamente sobre restauração. O trabalho é digno de respeito e honra, mas as pessoas até esquecem que existem pessoas (como você) que fazem que um quadro "reviva"... Infelizmente, é assim; mas, com esse post, aposto que muita gente começou a dar mais valor a esse belíssimo trabalho!!
Já que fazer pinturas com suas características, é muito difícil; imagina restaurar uma obra com características de outra pessoa!
Devia ter um dia especial para os restauradores, eles fazem mais do que simplesmente reparar uma obra; eles dão vida à ela.
Bjus,
Até mais!!

Patrickíssimo disse...

Jesus Amado! Acho mais fácil ler a Bíblia em hebraico do que tentar restaurar uma obra de arte.

Estive por aqui.

Tais Luso de Carvalho disse...

Antes de viajar dei um pulinho aqui para dizer 'que bela aula!'.
Não demoro muito, volto logo. Gostei da obra do cabeçalho, belíssima.
Até breve, Walzinha, vai pesquisando!
Beijão
-----
E, depois de ler o Patrick, aí em cima (sempre venho depois dele), tenho de rir!! É uma figura, a criatura!

Tais

Valter disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marli disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
edson disse...

Waleria primeiramente quero parabenizá-la pelo seu blog e dizer o quanto profissional ele é e claro quem o administra. Obrigado por visitar meu blog fico feliz em saber que você é cidadã de "verdade" pois mesmo que sua paixão seja arte se preocupa com seu país, sera´sempre bem vinda no Pensamento Crítico. Desejo sucesso pra ti, pois você já é brilhante como uma estrela!!! parabéns!!! abraços e claro voltarei a visitar teu blog.

Vanessa B. disse...

Sempre que vejo na TV alguma obra em restauração (de quadros a prédios inteiros), sempre ouço que leva muitos dias pra ficar tudo prontinho. Imaginei que fosse um trabalho de muita paciência, mas não sabia exatamente como isso acontecia.
Admiro seu trabalho.
E obrigada pelos comentários. Visite-me sempre
(nem preciso dizer q vou voltar, né?)

Luma D. disse...

Oi, Waléria.
Que bela explicação! Sempre soube que fazer restauração não é fácil, mas depois de ler seu post conclui que além de não ser fácil é uma tarefa extremamente delicada, pois o minímo de falta de cuidado pode causar um grande estrago.
Obrigada pela parabenização, com a ajuda de todos consegui chegar lá.
Estou hospedando os buttons e já já respondo seu email.

Beijos

=)

Isabel Lemgruber disse...

Oi Waléria, obrigada pela visita ao meu blog - ando sumida mesmo. Iniciei uma nova etapa profissional, fruto de ações que venho empreendendo, mais sistematicamente, ao longo do último ano, e que geraram um novo emprego. Agora o tempo se divide em "emprego + consultório"(que envolve atendimento psicanalítico, psicopedagógico, orientação vocacional -UFA!).
Seu post sobre restauração é um espetáculo. Aprendi mil coisas. Mas, vou te dizer, chega a ser assustador: jogar cera numa tela e passa a ferro - nossa!!! Tem que ter coragem - rsrsrs. Adorei! Obrigada por compartilhar seus conhecimentos com a gente.
Bj,
Isabel.

Valter disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Maria disse...

O seu trabalho é fantastico.
obrigada imensamente obrigada pela visita.
boa semana pra você.

TECHWARE BRASIL disse...

Cara Waleria,

Me desculpe pela falta de manifestação, mas às vezes mergulhamos nas leituras e, quando damos por sí, já estamos exaustos e acabamos por adiar o inevitável.

Eu gosto, nas horas vagas e quando há momentos de inspiração, que hoje são raras, pintar algumas telas a óleo. Vi que você respira a arte em sua plena concepção, maravilhosas idéias e farto conhecimento. O que concluo: Aprenderei muito por aqui.

Me identifiquei com tudo.

Meus cordiais abraços e grato pela valiosa e gentil visita.

Roberto Ramos

Brumas do Tempo ® disse...

Olá, Wal!!!

Ah, minha linda, passei por um período de restauração geral, mas agora já estou de volta! Então, temos o "w" em comum, pois Valéria é o mesmo som e Rowena a mesma escrita, pensou? Vou aproveitar e apreciar seu lindo blog, parabéns!

Beijos e bênçãos plenas...

)O( Rowena

Patrickíssimo disse...

Olá Waleria! Voltei para agradecer pelo presente. Já adicionei no blog. Grato. Ótima semana.

Estive por aqui.

Luma D. disse...

Oi, amiga.
Vim buscar meu presente, obrigada.
Também quero te oferecer meu award, que, sinceramente, achei que já tinha oferecido.

Beijos em seu coração.

=)

Donagata disse...

Excelente postagem! Parabéns! É que fiquei francamente impressionada com o trabalho incrivelmente minucioso que é necessário para executar bem um restauro a que nós, os analfabetos da arte, não sabemos dar o devido valor.

Por outro lado fiquei com a impressão, mais do que isso, com a certeza que a Walleria é uma professora incrível. Não só pelos conhecimentos que revela mas, sobretudo, pela forma fácil e adequada de os transmitir. Não faço ideia se está ligada a qualquer nível de ensino. Mas se não está, bom, então é uma perda.

Quero pedir desculpas por apenas hoje estar aqui parada com mais tempo. Mas a minha vida, ultimamente tem tido muitas solicitações de vários tipos que me têm limitado bastante o tempo.

Mais uma vez, PARABÈNS!

Beijos.

Luma D. disse...

Oi, Waleria.
Eu ainda não tinha visto, agora que fui ver.
Acredito que ficamos com o 2º e 3º lugar porque os blogs que estavam à nossa frente 'sumiram'.
Verifiquei meu email e também não recebi nada e acho que nem vamos receber... O envio é automático, então só é enviado uma única vez.
Pena!

Beijos pra você!

Bruno Cardona disse...

Olá Waleria, antes de mais quero agradecer a sua visita e lindo comentário ao meu blog, eu tambem adoro vir aqui ao seu blog , até porque aprendo sempre mais alguma coisa consigo, uma optima semana, jinhos.
Bruno Cardona

Anônimo disse...

boa noite, encontrei seu blogger
e vi que o senhor entende de restaurar papel, o sr. poderia me dar uma dica tenho uma gravura antiga que tem uma mancha do lado como tivesse molhado e fica uma lista escura,,, se quiser mando uma foto meu e-mail é jamiljt@yahoo.com.br poderia me dar uma dica como limpar esta mancha ou clarear. obrigado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...